As Navalhas da Saudade

Bom mesmo é viver pertinho

de quem nos faz tanto bem,

dar-lhe um abraço bem cedinho,

sentir seu cheiro também.

Pra quem ama é importante

ser presente a todo instante

e não só quando convém.


Quando temos que partir

e a quem amamos deixar,

o coração todo sangra,

nada consegue estancar

essa dor que nunca passa

e o nosso corpo trespassa

como uma lança a nos rasgar.


Logo em seguida a saudade

vem queimando como brasa,

corrompe o nosso sorriso,

deixa a vida tão sem graça.

À distância nós gritamos,

soluçamos, sufocamos,

quebramos como uma taça.


Tentamos chegar mais perto

com um telefone a ligar,

mas não sentimos o cheiro

nem podemos contemplar

aquele olhar de querença

que somente na presença

vamos visualizar.


Não há remédio indicado

para a cura da saudade.

Ela chega tão veloz,

nosso coração invade.

É doença traiçoeira,

voraz e bem corriqueira,

tira a nossa sanidade.


Mas a saudade também

é sinônimo de amor,

pois só sentimos a falta

do que o coração guardou

como imagem tatuada

ou uma pedra lapidada

exibindo seu primor.


É preciso dar valor

A quem caminha ao seu lado,

comemorando ou sofrendo,

aconselhando ou calado.

E se estiver na ausência

e a saudade lhe atormenta,

volte, esse é o seu chamado.


Que tal conhecer os passos que irão torná-lo um pouco melhor a cada dia? Clique na imagem abaixo e leia agora mesmo o meu livro "10 receitas para uma vida melhor".